Wednesday, August 09, 2006

Amnésia


Boa noite aos meus leitores! Quero dividir com vocês a dor que sinto em não saber a minha própria identidade. Talvez vocês possam me ajudar a me lembrar do passado e a entendê-lo. Estou confinada a um quarto que dizem ser meu, num castelo de pedras que dizem pertencer a mim, só que sinto como se estivesse numa prisão. Cercada de cuidados por pessoas que nem sei se conheço, apesar da presença destas me sinto só, uma estranha no ninho. Perguntei quem sou para elas, e me dizem : "Madame F. Noir, mas é conhecida por todos como Madame Noir." Tenho alguns lapsos de memória, imagens vão e voltam pela minha mente, ontem e anteontem vinham em minha mente a imagem de um recital tocando Requiem do Mozart, o trecho Lacrimosa especificamente, e um poema italiano, senzafine, que acho que era a letra de uma música.

Tuesday, August 08, 2006

Agonia interminável


Ó solidão, a única felicidade! Escolher ou não escolher os caminhos da vida! será que o destino já está traçado? Fadada ao sucesso ou ao fracasso? Como quebrar esse círculo vicioso se a vida é um mero palco de marionetes em que algum Deus nos manipula!
Agonia Interminável!


ao som de -SENZAFINE - Lacuna Coil
Scorre lento il mio tempo
Che scivola sul velo della mia pelle nuda
Se oltrepassassi il confine che mi hai dato
Forse io non sarei qui
Da adesso ormai che senso ha
Cercare di abbracciare un passato più puro
Guardando avanti rischierò
Ma riesco a rispondere ai miei perché

utto ciò che sarai
Era già stato scritto
Se davvero esiste
Questo dio ha fallito
Ogni parola pronunciata
Sarà lo specchio del tuo dolore
Riflette la colpa
Alimenta l'odio

Madre
Il mio destino scelgo
Se riesco a resistere

Sono ancora in piedi in questo istante di pura follia
Non so più se desiderare il bene o il male
Anche se il peccato forse più mi dà
Da adesso ormai che senso ha
Opporre resistenza a un destino segnato
Non resterò a guardare senza
Riuscire a resisterti
Risvegliarmi

Madre
Il mio destino scelgo
Se riesco a resistere
Risvegliami
Non c'è scelta senza me
Non c'è vita senza me

Monday, August 07, 2006

Lacrimosa



Lacrimosa
Lacrimosa dies illa
Qua resurget ex
favilla
Judicandus homo reus.
Huic ergo parce,
Deus
Pie Jesu Domine
Dona eis requiem, Amen.

Trecho de Requiem do Mozart



tradução:
Lacrimosa
Dia de lágrimas aquele
em que o homem pecador
renasça da sua cinza
para ser julgado!
Tende,
pois, piedade dele, ó meu Deus!
Ó piíssimo Jesus,ó
Senhor,
concedei-lhe o repouso eterno. Amém.